Você está aqui
Home > 2010 ARQUIVO HISTÓRICO > Zenóbio devolve ‘PEC 300’ à Mesa da Assembleia

Zenóbio devolve ‘PEC 300’ à Mesa da Assembleia

zenobio2 2010Impasse na votação da “PEC” dos policiais. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, deputado Zenóbio Toscano (PSDB), devolveu ontem a presidência da Casa os projetos de lei enviados pelo Poder Executivo dispondo sobre reajuste salarial dos policiais e agentes penitenciários. Ele alega divergências de assinaturas nos projetos.

O deputado Gervásio Maia, vice-presidente da CCJ e líder do governo, disse que Zenóbio não tem poderes para devolver projeto nenhum sem ouvir todos os membros da Comissão. Para ele, o ato do presidente da CCJ tem um só objetivo: procrastinar a votação do aumento salarial dos policiais, assim como ele fez com outros projetos de interesse do Governo.
“O deputado Zenóbio Toscano é um engavetador de matérias e descumpridor de prazos regimentais na Comissão de Constituição e Justiça”, declarou o deputado Gervasinho. Ele disse que o deputado repete um procedimento rotineiro dentro da CCJ para atrasar as matérias. “É melhor inventar outra desculpa porque essa não cola”, afirmou o líder do governo.

Divergência

Segundo Zenóbio, as assinaturas contidas nas cópias dos projetos enviadas no dia 20 à Assembleia não batem com os originais enviados no dia seguinte. Ele explicou que os originais supostamente assinados pelo governador José Maranhão são divergentes das cópias enviadas pelo governo.

“Se constata sem maiores dificuldades profundas divergências entre as fotocópias e os supostos originais dos projetos de lei enviados pelo governador, o que sugere exame mais apropriado”, justifica Zenóbio.
O presidente em exercício da Assembleia, João Henrique, disse que não tinha tomado conhecimento do despacho proferido por Zenóbio. Na sessão de hoje, ele irá se pronunciar em relação ao que foi alegado pelo presidente da CCJ. João Henrique disse que custa acreditar que alguém tenha coragem de falsificar a assinatura do governador em um documento de tamanha importância como a chamada PEC dos policiais.

Lenilson Guedes

CORREIO DA PARAÍBA

Top