UPB: CAMPANHA CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Na luta contra a aprovação da Reforma da Previdência, que tramita no Congresso Nacional como Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, a União dos Policiais do Brasil (UPB) alugou o frontlight na saída do aeroporto de Brasília. A arte visualizada no outdoor faz uma referência ao pato utilizado pela FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) nos atos e atividades pró-impeachment da presidente Dilma Rousseff.

No slogan, evidenciam que os policiais e demais trabalhadores do País é que vão “pagar o pato” – com diz o dito popular – caso a Reforma da Previdência seja aprovada. A PEC 287 retira da Constituição o dispositivo que considera a atividade policial como sendo de risco. Na prática, a reforma torna a aposentadoria do policial uma missão quase impossível, dado aos riscos inerentes à profissão e as próprias condições de trabalho que os policiais são submetidos diariamente para o cumprimento do seu dever.

Caso aprovada, a PEC eleva a idade mínima para aposentadoria de mulheres para 65 anos, igualando a idade dos homens, e fixa em 49 anos o tempo mínimo de contribuição para o trabalhador ter direito à aposentadoria integral, entre outras mudanças.

A União dos Policiais do Brasil (UPB) é formada por diversas entidades representativas das carreiras policiais, entre elas a COBRAPOL.

Por Giselle do Valle
Fonte: Imprensa COBRAPOL