Temporada de Greves

Terça – 29.05.2007 – Edição online – Ano 07


Helder Moura

TEMPORADA DE GREVES

O Governo do Estado tem uma semana para tentar reverter a temporada de greves que os servidores estaduais estão programando. Categorias como professores e servidores da Polícia Civil já trabalham com um indicativo de paralisação, a partir da primeira semana de junho.
Nos dois casos, a reivindicação dos servidores se situa na mesma linha: eles se queixam dos baixos salários e das precárias condições de trabalho. Até admitem que o Governo tem algum diálogo com as categorias, mas não avançam quanto às suas principais reivindicações.
A paralisação dos professores traz prejuízos aos alunos dos 1,5 mil educandários da rede estadual de ensino, mas também pega uma parte do período de férias. É possível que setores do Governo trabalhem com esta perspectiva e não estejam tão alerta para a greve.
No caso da Polícia Civil, os efeitos podem ser mais evidentes. A Paraíba, com se sabe, já experimenta índices elevados de violência, e isto com todo o efetivo policial operando contra a bandidagem. Imagine como ficará esta situação se parte dos policiais cruzar os braços.
O mais grave, além da paralisação, é se criar a impressão de que o Estado vive numa situação de greves, o que pode estimular outras categorias a cruzar os braços também. Espera-se que o Governo tenha economizado bem com as gratificações dos comissionados e feito caixa.
Pelo clima de professores e policiais, o Governo só vai conter as atuais insatisfações balançando o mealheiro.