SSPC/PB PEDE SOCORRO A LULA E A T OMAZ BASTOS

CIDADES
Terça-feira, 22 de novembro de 2005 * Paraíba b-3

SINDICATO EM DESTAQUE

SSPC/PB PEDE SOCORRO A LULA E A TOMAZ BASTOS

 

A Falta de dialogo do Governador do Estado, com as entidades associativas e sindicais da  polícia civil da Paraíba, faz com que a polícia civil paraibana  peça socorro através o Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba-SSPC/PB, que mesmo sabendo  que não compete a União interferir na Segurança dos Estado, ainda esta semana encaminhará pedido de ”SOS – SEGURANÇA” ao presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, Ministro da Justiça Márcio Tomaz Bastos e ao Secretário Nacional de Segurança Luiz Fernando Corrêa, no dossiê constará o abandono da  Segurança Pública da Paraíba, imagens das delegacias municipais de polícia, que não oferecem as mínimas condições físicas para o funcionamento de uma repartição pública, falta higiene, material de expediente, computadores, o salário é o pior do Brasil.O pedido de socorro para polícia civil, enfocará ainda o crescimento da violência na zona urbana do brejo, a exemplo dos municípios de Cacimba de Dentro, Casserengue, Bananeiras, Solânea entre outros municípios. Os pequenos agricultores estão deixando a roça rumo as cidades, para permanecerem vivos, mais de uma centena de família já deixaram suas propriedades devido a onda de assaltos a mão armada, invasões as residências com mortes e ferimentos a balas, a falta de uma urgente reestruturação da Segurança Pública, falta de efetivo de Agentes de Investigação e Escrivãs de polícia, condições materiais, autonomia e independência administrativa dos Superintendentes Regionais de Polícia e suas respectivas equipes, prejudica as investigações e só contribui para o crescimento da impunidade da violência tanto na zona urbana como rural, é preciso que o Governador Cássio Cunha Lima, urgentemente chame o feito a ordem e  cumpra com a promessa de campanha que foi valorizar o bom policial e dar  prioridade em seu governo a Segurança Pública, que é dever do Estado e direito do cidadão,  concluiu Antonio Erivaldo Henrique de Sousa, presidente do SSPC/PB