SINDICATO DA POLÍCIA CIVIL DENUNCIA CAOS NA SEGURANÇA DA PARAÍBA

>>CAMPINA GRANDE 
>>ROGÉRIO OLIVEIRA
>>da reportagem local

   A segurança da Paraíba está um caos”. A avaliação é do presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba (SSPC/PB), Antônio Erivaldo Henrique Souza. Para ele, a causa do trabalho ineficiente é a falta de pessoal. armamentos, viaturas e material de expediente. “As cidades cresceram, aumentou o número de delegacias, mas aquantidade de policiais não acompa nhou esse crescimento” , acrescenta o presidente do sindicato.
Atualmente, a Policia Civil da Paraíba tem em seu quadro efetivo de servidores 1.260 policiais, que atuam nos 223 municípios do Estado. Para as 300 delegacias paraibanas, há apenas 160 delegados. “Dessa forma, estamos obrigados a colocar em determinados cargos pessoas que não estão habilitadas. E a segurança da população fica entregue a essas pessoas”. completa Antônio Erivaldo. Segundo o presidente do SSPC/PB, há treze anos não há concurso para a Polícia Civil do Estado. “As vagas e os cargos já existem, mas não há o concurso”, ressalta Erivaldo. Ele acrescenta que o ideal era um total de 5 mil policiais para cobrir todo o Estado.

   Há, portanto. um déficit de 3.740 profissionais de segurança na Paraíba. “Torcemos para que nosso Estado não fique como Pernambuco ou Rio de Janeiro, que sofrem com o problema da falta de segurança. Acredito que a violência é consequência de uma série de fatores, como o desemprego e a fome, mas também da falta de responsabilidade  dos governantes”, frisa o presidente.
Além da falta de pessoal para a segurança. O Sindicato da Polícia Civil

 

MAIOR QUEIXA É 
POR NÃO 
DE 3.740
POLICIAIS

 

informa que as condições físicas das delegacias deixam muito a desejar. “Estamos sem condições de funcionamento. As máquinas de datilografia estão quebradas, falta material de expediente e viaturas”. desabafa Antônio Erivaldo.
Ainda de acordo com o presidente do sindicato, as delegacias de Campina Grande estão sem plantão à noite, por falta de pessoal. “Apenas a Central de Policia de Campina funciona à noite”, diz. Há ainda quatro delegacias que não possuem viaturas. Já as delegacias de João Pessoa, todas possuem viaturas, “mas em precárias condições”.