Você está aqui
Home > 2011 ARQUIVO HISTÓRICO > RC NEM TEVE ATITUDE E NEM RESOLVEU PROBLEMA DA SEGURANÇA POR DECRETO, COMO PROMETIDO

RC NEM TEVE ATITUDE E NEM RESOLVEU PROBLEMA DA SEGURANÇA POR DECRETO, COMO PROMETIDO


fig05o2011

Se Ricardo Coutinho fosse do sertão, já teria sido renegado pelos seus conterrâneos.

É que no Sertão, a palavra de um homem vale mais do que tudo.

Pois bem, na campanha eleitoral, no ano passado, o então candidato dos girassóis disse, num debate com José Maranhão na televisão, que faltava atitude para resolver o problema da segurança pública na Paraíba.

Disse mais. Prometeu que em 24 horas, por decreto, deixaria a Paraíba num mar de rosas.

Em outro momento da campanha, no município de Pilar, Ricardo disse que faltava homem para resolver o problema da segurança no estado.

Pois é. Até agora, Ricardo não teve qualquer atitude para resolver o problema da segurança e o balanço parcial divulgado no início da tarde de hoje revelou que a violência na Semana Santa foi maior que no Carnaval e 100% acima do registrado no mesmo período do ano passado.

Além disso, não quis pagar a PEC 300, pune os policiais que participaram do movimento e manda a tropa de choque joggar spray de pimenta nos estudantes.

Confira abaixo algumas promessas de campanha de RC, nenhuma delas postas em prática:

– Valorizar e fortalecer o trabalho da Ouvidoria e da Corregedoria de Polícia, dando-lhes autonomia administrativa e operacional, com mandato;

– gestão integrada ampla e pactuada do Sistema de Justiça Criminal;

– Implementar o Sistema Único de Segurança Pública no Estado, conforme estabelece o Plano Nacional de Segurança Pública do Governo Federal;

– Regulamentar e ativar o Conselho Estadual de Defesa Social, garantindo a participação da sociedade civil;

– Pactuar para criar os consórcios metropolitanos e Municipais de Políticas de Segurança Pública;

– Fomentar, de forma sistemática, os Conselhos Comunitários de Segurança, com o fim de oportunizar a participação popular, garantindo o controle social;

– Criar o Centro de Estudos da Violência, da Criminalidade e da Segurança Pública, com a finalidade de assessorar o governo e às instituições de Segurança no planejamento e na implementação de políticas de segurança pública;

– Fortalecer e ampliar o Programa Educacional de Prevenção às Drogas e à Violência (PROERD);

– A partir do trabalho de inteligência, realizar ações repressivas aos crimes do narcotráfico, exploração sexual infanto-juvenil e tráfico de seres humanos.


Fonte:
Blog do Dércio

Top