PRESIDENTE DA FENAFISCO DIZ QUE RC TRATA FISCAIS COMO MOLEQUES E COM AMEAÇAS  

fig09d2011O presidente da Federação Nacional do Fisco (Fenafisco), o paraibano Manoel Isidro dos Santos Neto, fez duras criticas na manhã desta terça-feira, 11, ao posicionamento do Governo do Estado em relação ao movimento grevista dos agentes fiscais, que cobram o cumprimento da Lei do Subsídio. Em entrevista a Rádio Paraíba FM, Isidro disse que a administração estadual procura desculpas para não conceder o reajuste salarial.

Segundo Manoel Isidro, o que o Fisco está cobrando é apenas o cumprimento da lei e o respeito do Governo para com os agentes fiscais. “O Governo chama a gente para negociar e o governador nos recebe fazendo ameaças. Sinceramente, é tratar os trabalhadores e homens honrados do Fisco como moleques”, acusou o dirigente.
Manoel Isidro disse ainda que a categoria está sendo acusada de intransigência pelo Governo do Estado. “Fomos chamados para negociar em uma reunião apenas de fachada, sem proposta alguma e o governo ainda acusa a categoria de intransigência, isso não existe”, comentou.

O presidente da Fenafisco garantiu também que a categoria já conseguiu superar a meta de arrecadação do Estado para este ano em mais de R$ 90 milhões e que a paralisação dos servidores quebra o ritmo de trabalho do Fisco no Estado. “Isso tudo por causa da falta de habilidade do governador e de seus secretários em negociar com a categoria”, disse.

Saída dos secretários

Manoel Isidro também disse que acompanhou o pedido de exoneração dos secretários da Receita Estadual, Rubens Aquino e o executivo Petrônio Rolim. Segundo ele, a renúncia expressa um apoio muito importante para o movimento grevista.
Ele lembrou que os secretários já haviam tentado entregar seus cargos por três vezes, mas recuaram diante da recusa do governador Ricardo Coutinho (PSB) em aceitar a renúncia. Segundo Isidro, os secretários são auditores fiscais concursados e não poderiam ficar contra a greve da sua categoria.

FONTE: Redação – SINDIFISCO