Você está aqui
Home > 2012 ARQUIVO HISTÓRICO > PESQUISA DA UFCG APONTA CRESCIMENTO DE 154% DAS TAXAS DE HOMICÍDIOS NA PARAÍBA NOS ÚLTIMOS 10 ANOS

PESQUISA DA UFCG APONTA CRESCIMENTO DE 154% DAS TAXAS DE HOMICÍDIOS NA PARAÍBA NOS ÚLTIMOS 10 ANOS

A taxa de homicídio na Paraíba cresceu 154% nos últimos dez anos no Estado da Paraíba. É o que aponta a pesquisa A gestão da segurança pública nos município paraibanos, realizada pela estudante da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Duília Dalyana dos Santos, do curso de licenciatura em Ciências Sociais do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido (CDSA), campus de Sumé.

Resultado do projeto de pesquisa do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o trabalho foi orientado pelo professor do CDSA, José Maria Nóbrega.

homicid2012De acordo com a pesquisa, que analisou especificamente o crescimento das taxas de homicídio nos municípios de João Pessoa e Campina Grande, a capital paraibana contabilizou no ano de 2000, 191 homicídios. Em 2010, este número mais que dobrou, totalizando 495 mortes. Em Campina Grande, a situação não foi muito diferente. No ano de 2000, foram registrados 106 assassinatos, pulando para 187 no ano de 2010.

“João Pessoa, no início da década, era a 15ª capital mais violenta do Brasil. Passados dez anos, a cidade ocupa atualmente a 2ª posição entre as capitais mais letais. É a sexta cidade brasileira mais violenta entre aquelas que possuem de 300 mil a mais de um milhão de habitantes. Campina Grande aparece em quarto lugar entre as cidades brasileiras de seu mesmo porte populacional”, revela Duília Santos.

Outro dado importante levantado pela pesquisa é que mais de 90% dos homicídios registrados nas duas cidades vitimaram pessoas do sexo masculino, sendo em sua maioria, jovens na faixa etária dos 20 aos 29 anos de idade.

Quanto ao nível de escolaridade, a pesquisa apontou que os jovens mais vitimados são aqueles com baixo nível de escolaridade. “As mortes por agressão tendem ao decréscimo quando os anos de escolaridade superam os oito anos de sala de aula”, diz a estudante.

Novos Caminhos

Ainda de acordo com a pesquisa, uma das saídas para melhorar o atual quadro de violência no Estado da Paraíba seria o investimento em Segurança Pública, a exemplo da criação das Guardas Municipais, institucionalização de conselhos, secretarias e planos municipais de segurança, acesso dos municípios aos recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública, criação da lei de restrição de funcionamento de bares e venda de bebidas alcoólicas, policiamento comunitário, entre outros.

“Percebemos que os municípios negligenciam questões tocantes à segurança pública, o que faz aumentar a criminalidade de forma exorbitante colocando as cidades em rankings de nível nacional, infelizmente. Através da nossa pesquisa fica claro a importância de planos de segurança púbica eficazes e eficientes para os demais municípios com um bom gerenciamento”, ressalta.

(Gloriquele Mendes/UFCG

Top