O fim da Manzuá

Política – Sábado, 13 de outubro de 2007 – A3

Helder Moura

O fim da Manzuá

Há poucos dias, durante uma entrevista concedida na Assembléia, o secretario Eitel Santiago (Segurança) admitiu a existência de estudos, solicitados pelo governador Cássio, para promover a extinção da Operação Manzuá. Suas declarações foram noticiadas e provocaram ração de setores da sociedade.
Então, o secretário Eitel procurou a Imprensa pra negar a possibilidade de extinção da Manzuá, e ficou por isto mesmo. Mas, levou azar. Nos últimos dois dias, começou a circular em portais e fóruns da Internet o áudio com suas declarações, nas quais confirma os estudos para extinguir a Operação Manzuá.
A Operação Manzuá, como se sabe, foi uma das ações do Governo Burity mais bem aprovadas pelos paraibanos. Durante anos, foi um diferencial da Paraíba para combater a violência. Vários bandidos foram flagrados e presos, graças ao trabalho dos policiais da Manzuá, que virou um símbolo do Estado.
Nem tudo são flores, obviamente. Houve denuncias de que alguns poucos policiais vinham cobrando propinas a motoristas. Algo reprovável, certamente, mas nada de tão anormal em se tratando de Brasil. Nada de tão grave que pudesse ser determinante pra desmontar a Operação. Bastava administra-la melhor.
Mas, eis que o áudio é claro. O governador Cássio, segundo o secretário Eitel, solicitou estudos junto à Polícia Militar e a Secretaria de Segurança para avaliar a sua extinção. Apesar de que, no mesmo áudio, Eitel também afirma: “Eu preferia melhorar a Operação Manzuá, mas isto implica em recursos…”