Você está aqui
Home > 2009 ARQUIVO HISTÓRICO > MOBILIZADOS, POLICIAIS CIVIS REJEITAM PROPOSTAS DO GOVERNO

MOBILIZADOS, POLICIAIS CIVIS REJEITAM PROPOSTAS DO GOVERNO

Publicado em:

27 DE OUTUBRO DE 2009

JOÃO PESSOA/PB – TERÇA FEIRA

1 – O representante do Governo, secretário da Segurança Pública e da Defesa Social – SEDS Gustavo Ferraz Gominho, tem demonstrando as melhores intenções para resolver a questão salarial dos policiais civis mas tem encontrado grandes barreiras por parte da equipe econômica do governo Maranhão III, “desabafou Gominho”. Foi oferecido 10% de reajuste para os Agentes Escrivães, papiloscopistas e 5% para os delegados e peritos, a partir do mês de outubro do ano de 2010, com vinculação ao crescimento da receita geral do Estado.

CONTRAPROPOSTA IMORAL

2- Os diretores regionais em plenária do dia 23 por volta das 18:00 deliberaram pela rejeição da contraproposta que consideraram imoral. Os “delegados reivindicam vencimentos equiparados aos procuradores do Estado, peritos igualdade aos vencimentos dos delegados, Agentes, Escrivão, Papiloscopista salários equivalentes a 57% que foi mantido nos governos de Burity I e II, Wilson Braga, Ronaldo Maranhão I e II e Cássio I, ou seja por décadas”.

RESTITUIÇÃO

3 – Os PCs. Que não são delegados e nem peritos apenas solicitam ao governador José Targino Maranhão que restitua este modesto direito que permaneceu por mais de duas décadas. A classe já não suporta mais tanta discriminação e exclusão, é questão de bom senso e valorização do bom policial.

PRIMEIRA GREVE DOS PCs. DA PARAÍBA

4 – A primeira greve dos policiais civis da Paraíba foi considerada a mais organizada do Brasil pela COBRAPOL e FENEPOL, que só veio acontecer em 01 de junho do ano de 2007, sob o comando do SSPC-PB, que durou 29 dias, marcada por perseguições, ameaças e calúnias. Quando o governo da época discriminou os policiais civis que não são delegados e nem peritos, rebaixando a proporcionalidade dos vencimentos de 57% dos delegados para menos de 1/3, este fato foi cruel e impensado por parte dos gestores, gerou revolta na classe até hoje, temos mais de 6.500 Inquéritos com as investigações paradas, só na grande João pessoa temos mais de 1200 homicídios sem identificação dos autores, além do sucateamento do IPC que vem atrasando de forma gradativa o confeccionamento dos laudos, por falta de material e desestimulo da classe. A partir deste distanciamento salarial a crise instalou-se na SEDS e as greves não pararam mais de acontecer, as investigações pararam, inquéritos sem andamentos, a população assustada com a violência, as casas sendo invadidas por bandidos, granjas, casas comerciais, templos religiosos, ônibus são assaltados diariamente, assaltos aos bancos em geral, seqüestros relâmpagos com mais de 05 vitimas por semana, só em João Pessoa. Segurança pública é coisa seria. “Na Paraíba já não se faz segurança como antigamente!”, disse Erivaldo.

S.O.S

5 – O Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba- SSPC-PB, através do presidente Antonio Erivaldo Henrique de Sousa, mais uma vez alerta as autoridades constituídas do Estado da Paraíba, para que cuidem rápido da Reconstrução da Paraíba incluindo a Segurança Pública como prioridade, que o governador faça valer seu discurso de posse, que afirmava ter a segurança como prioridade em seu novo governo. Os sindicalistas alertam aos gestores da SEDS, caso permaneça tal caos o nosso querido Estado da Paraíba, nos próximos 15 anos poderá se tornar o Estado mais violento do Nordeste ou do Brasil, à exemplo de Pernambuco, Maceió, Rio de Janeiro, São Paulo, etc. Se houver um colapso total na segurança pública a responsabilidade será única e exclusiva dos seus respectivos gestores, alerta o presidente do SSPC/PB.

AGRADECIMENTOS ÀS SOLIDARIEDADES RECEBIDAS DA COBRAPOL, FENEPOL, SINDIFISCO-PB E NCST

6 – As Diretorias do SSPC-PB, SINDEPOL-PB, ADPDEL, ASPOCEP e APC-PB, agradecem as solidariedades recebidas das entidades coirmãs de todo Brasil, “pois não se faz Segurança Pública sem a valorização do bom Policial”, lembra Erivaldo que o cargo de policial hoje é o mais estressante, só perde para mineradores, sem contar que a Paraíba paga os piores salários do Brasil.

Fonte: Jornal Já

PALAVRA PARA REFLEXÃO

7 – Isaías 10:1-2 Ai dos que decretam leis injustas, e dos escrivães que prescrevem opressão. Para desviarem os pobres do seu direito, e para arrebatarem o direito dos aflitos do meu povo; para despojarem as viúvas e roubarem os órfãos.

Top