Greve na Polícia

PORTALCORREIO.COM.BR – Sexta – 01.06.2007 – Ano 07

Greve na Polícia: se PM ocupar delegacias pode provocar um confronto, adverte Sindicato


O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado, Antônio Erivaldo, denunciou no programa Correio da Manhã (Correio Sat) desta sexta-feira (1º) que o secretário de Segurança Pública, Eitel Santiago, ameaça cortar ponto e ocupar as delegacias com policiais militares, “o que pode provocar confrontos”.

Erivaldo rechaçou as supostas ameaças do secretário e garantiu que elas não intimidam o movimento dos policiais civis, principalmente agentes, motoristas e escrivãos. Os delegados não vão entrar em greve porque teriam negociado com o governo estadual um acréscimo de R$ 1.500 em duas parcelas nos salários.

Ouvido pela produção do programa da Correio, o secretário Eitel Santiago disse que não acredita no movimento grevista e informou que está negociando com a área econômica alguma proposta de melhoria salarial (não revelou dados) para, ainda nesta sexta, encontrar uma saída para o impasse.

Segundo informações de policiais engajados no movimento de paralisação, a principal reivindicação do pessoal de nível médio e de apoio da Polícia Civil seria a de receber pelo menos a metade do que os delegados já teriam conquistado nas negociações com o governo.

Pauta de reivindicações

Oficialmente, conforme documento encaminhado no dia 8 de maio último ao secretário de Segurança Pública, os policiais civis da Paraíba fazem as seguintes reivindicações que, ainda não atendidas, fizeram com que deflagrassem greve geral por tempo indeterminado:

1. Seja assegurado através de Lei, a proporcionalidade salarial de 2/3 (dois terços) dos vencimentos dos Delegados de Carreira e Peritos, para os demais Policiais Civis de Nível Médio, Agente de Investigação, Agente de Telecomunicação, Escrivão de Polícia, Papiloscopista Policial, Auxiliar de Perito, Necrotomista Policial, Motorista Policial etc, conforme tabela anexo I

2. Deferimento de todos os processos de ascensão funcional, daqueles policiais civis que preencherem os requisitos legais da legislação, aplicada a espécie.

3. Envio de projeto de Lei para Assembléia Legislativa, concedendo aposentadoria com proventos integrais, para os policiais civis, que conte com trinta anos de serviço público e que tenha no mínimo vinte anos de polícia, e para mulher policial aposentadoria aos 25 anos de serviço público.

4. Seja enviado para Assembléia Legislativa do Estado, projeto de lei Orgânica da Polícia Civil do Estado da Paraíba, e que os vencimentos sejam pagos através de subsídios, como garante a Constituição Federal vigente.