Você está aqui
Home > 2007 ARQUIVO HISTÓRICO > Eitel descarta greve dos delegados

Eitel descarta greve dos delegados

Cidades – Paraíba * sexta-feira, 25 de maio de 2007 – B3

EITEL DESCARTA GREVE DE DELEGADOS

Secretario diz que segurança do Estado é de primeiro mundo e pode ser comparada ao sistema dos EUA

Katiúscia Formiga

Campina Grande – O secretario de Segurança e Defesa Social, Eitel Santiago, descartou a possibilidade de greve dos delegados da Policia Civil e disse que a adesão à causa é proselitismo político. Ontem pela manhã, os delegados servidores da Policia Civil participaram de uma tribuna livre na Câmara Municipal e reafirmaram o indicativo de greve para o dia 1º de junho, caso o governador não aprove o reajuste de salário de R$ 2.850,00 para R$ 5.095,00. “A Câmara deveria estar discutindo o salário dos servidores municipais e não dos delegados”, criticou Eitel.
O secretario disse que a segurança da Paraíba é de primeiro mundo, comparada inclusive com a dos Estados Unidos. “Nós temos um efetivo policial de 10 mil homens, melhor que o Rio de Janeiro e estratégias de segurança publica orientadas para cada evento do Estado. Esse clima de insegurança é no pais inteiro. Os delegados e agentes estão reivindicando melhores salários, mas a situação deles não é diferente dos demais Estados da Federação”, argumentou Eitel.
O presidente do Sindicato dos Delegados, Isaias Olegário, disse que o Secretario de Segurança tem realizado audiências com a categoria, mas nada sai do discurso. “Estamos na lanterninha e o próprio secretario assume isso. Não queremos a greve, mas essa é a ultima alternativa para melhorar as condições da segurança publica no estado. Ainda temos alguns dias ate a greve e não vamos voltar atrás nas nossas reivindicações”, falou.
Os demais servidores da Policia, agentes e escrivaes também vão entrar em greve caso não seja concedido um aumento salarial de R$ 1.265,00 para cerca de R$ 3.000,00. “Não vamos ficar parados enquanto servidores da policia trabalham em condições precárias, sem receber hora extra e adicional noturno. Caso nossas reivindicações não sejam atendidas, o estado terá apenas 30% do efetivo policial em atividade a partir de junho”, argumentou.


VEREADOR DENUNCIA CAOS

Para o vereador Olimpio Oliveira, a Paraíba esta vivendo um caos na segurança publica. “O Ministério Publico visitou delegacias da capital, que deveriam servir como vitrine, e encontrou um quadro aterrador, imagine no interior. Acho uma falta de sensibilidade administrativa remunerar mal uma categoria que tem o poder de recensear a liberdade das pessoas. O policial que não tem uma boa índole termina se envolvendo com o submundo do crime”, opinou o vereador, que já atuou como delegado de policia.

Top