DELEGADO DIZ QUE SINDICATO ESTÁ EQUIVOCADO”

DEFASAGEM


Sindicato diz que a Polícia Civil precisa contratar 4.500 pessoas
 

João Pessoa
da reportagem local 

    O presidente do Sindicato dos  Servidores  da Polícia Civil na Paraíba (SPPC-PB), Antônio Erivaldo Henrique de Souza, declarou ontem que a Polícia Civil (PC) está trabalhando com apenas 21% do contingente necessário para o Estado. Segundo ele, o efetivo de agentes atualmente é de apenas 1.260 pessoas, e que são necessárias mais 4.500 para suprir a demanda na Paraíba.
Antônio Erivaldo disse que atualmente, a maior parte dos delegados e agentes de investigação no interior do Estado são cargo comissionados, o que tem prejudicado o trabalho prestado pelo órgão à população. Ele explicou que as pessoas colocadas como comissionadas não passam por qualquer treinamento ou concurso, sendo indicadas em sua maioria pelos prefeitos das cidades onde trabalham. “São pessoas que trabalham em investigações sem ter qualquer orientação de como 

procederem, o que acaba resultando no arquivamento da maioria dos inquéritos”, completou.
  O presidente do SPPC disse que atualmente existem 160 delegados de carreira e mais de 200 comissionados, o que segundo Antônio Erivaldo, vai contra o Estatuto da Polícia Civil. Ele explicou que além desse cargo, outros estão sendo irregularmente disponibilizados para pessoas que não passaram pela formação técnica necessária e que isso representa um perigo para a população.
 Segundo ele, a Polícia Civil da Paraíba está em uma situação crítica, pela falta de pessoal e qualidade dos serviços comprometida. Outro fator exposto foi a questão salarial. Antônio Erivaldo disse que muitos policiais saíram da PC da Paraíba para trabalharem em outros Estados. Ele explicou que, enquanto no Rio Grande do Norte o salário inicial de um delegado é de R$ 2,8 mil, aqui esse valor é de R$ 1 mil, o que causa um desestimulo para os agentes. (KO)